Programa Gestão de Líderes Públicos do Ceará

Introdução

A gestão de pessoas no setor público é parte estratégica da administração pública. A presença de líderes e servidores qualificados e preparados para os desafios da carreira pública é essencial no processo de fortalecimento da capacidade do Estado em gerar mais e melhores resultados para a população cearense. E é com esse entendimento que o Governo do Estado do Ceará lança o Programa Gestão de Líderes Públicos do Ceará, iniciativa pioneira para atrair, selecionar e acompanhar o desempenho e desenvolver pessoas para enfrentar os desafios sociais atuais e futuros do Estado.

Como primeiro objetivo, o Estado iniciará o processo de pré-seleção para cargos em comissão.

Um processo de seleção de pessoal se caracteriza pela busca por pessoas qualificadas para atender um determinado perfil profissional. Assim, de acordo com as competências solicitadas por um determinado órgão ou entidade, é estruturado um procedimento para selecionar aquelas pessoas que mais se aproximam destas competências.

De acordo com o Estatuto dos Servidores Públicos do Estado do Ceará, “os cargos em comissão serão providos, por livre nomeação da autoridade competente, dentre pessoas que possuam aptidão profissional e reúnam as condições necessárias à sua investidura”. De forma inovadora e baseando-se em experiências internacionais exitosas, o Governo do Estado do Ceará realizará um processo de pré-seleção para os cargos comissionados, como fase inicial do Programa Gestão de Líderes Públicos do Ceará.

O Programa Gestão de Líderes Públicos do Ceará é direcionado tanto ao público interno (servidores e empregados públicos) quanto ao público externo. Para os candidatos que compõe o público interno, é uma oportunidade para demonstrar seus talentos e potencialidades, viver novas experiências e contribuir, ainda mais, com o Ceará. Para os candidatos do público externo, é uma oportunidade de fazer parte de um projeto de Estado que se posiciona como competitivo, inovador e sustentável.

Dessa forma, como grandes objetivos do Estado do Ceará neste processo estão a experiência e os conhecimentos dos servidores e empregados públicos estaduais, bem como a visão externa daqueles que gostariam de contribuir com suas competências para o desenvolvimento do Ceará que não para. Assim, o Estado assegura que as suas funções de liderança sejam supridas de forma profissional, alinhadas ao mérito e à confiança.

O processo de pré-seleção para cargos em comissão será iniciado na Secretaria de Planejamento e Gestão, onde serão pré-selecionados candidatos para 3 cargos de coordenadoria para a Secretaria Executiva de Politicas Estratégicas para Liderança.

Um processo inovador

O programa utiliza uma metodologia de recrutamento e avaliação baseada em mérito e competências para cargos em comissão e de livre nomeação do Estado, transformando a cultura de gestão de pessoas no setor público por meio de um processo justo e transparente.

As inspirações internacionais para o programa vêm de países que criaram mecanismos modernos de recrutamento para profissionalizar a composição de altos cargos na administração pública. São exemplos as experiências de países da América Latina, como o Chile e o Peru, além de iniciativas destacadas em países como a Austrália e Reino Unido. 

Parceiros do Programa

O Programa surgiu de uma parceria entre o Governo do Ceará com a aliança de organizações do terceiro setor, a Vamos, formada pela Fundação Lemann, Instituto Humanize e o Republica.org, contando com o Instituto Gesto como parceiro implementador das ações voltadas para gestão de lideranças no setor público, além do Instituto Publix como parceiro técnico da construção do Processo Seletivo. É uma iniciativa do Governo do Ceará para aperfeiçoar o modelo de atração, seleção, desenvolvimento e desempenho de profissionais para a administração pública do Estado.

A Vamos tem somado esforços e recursos em projetos que promovem o aprimoramento da gestão pública por meio da produção de conhecimento, mobilização social e estruturação de modelos e boas práticas em gestão de pessoas. A parceria prevê o desenvolvimento de metodologia e estruturação de boas práticas em gestão de desempenho, além da transferência de conhecimento ao Estado.

Etapas do Processo de Pré-seleção

O processo de pré-seleção consiste nas seguintes etapas:

1

FASES DO PROCESSO SELETIVO

1. Análise curricular e teste online

É o passo inicial do processo a ser realizado pelo candidato, onde ele deverá realizar o seu cadastro, assim como a inserção de seus dados curriculares, descrevendo a experiência a formação e os cursos de extensão realizados. Trata-se de etapa extremamente relevante, razão pela qual o candidato deverá realiza-la com a máxima atenção e veracidade. Em seguida após demonstrar sua experiência profissional ele será convocado a verificar seus conhecimentos básicos por meio de um teste online RACE. Este consiste em 3 questões de raciocínio lógico, 3 questões de atualidades e 4 questões de comunicação estratégica. No entanto ele só estará disponível em data específica, devendo o candidato ficar atento ao seu email de cadastro na plataforma.

Os prazos de abertura e encerramento das inscrições serão informados no detalhamento de cada vaga. Ao clicar no menu “inscrições abertas” o candidato poderá acompanhar os prazos limites das inscrições.

Clique aqui para se inscrever.

2

2. Desafio Técnico

O candidato encontrará dois problemas que requerem solução. Um problema relacionado à competência comum à todas as Coordenadorias e um problema relacionado à Coordenadoria de sua escolha. Nesta fase, ele deverá responder tais problemas de maneira verbal, por meio de vídeo pessoal, no qual você esclarece sua solução para o problema. Não serão admitidos nenhum recurso digital visual para sua apresentação – como imagens de fundo, imagens ilustrativas, gráficos/tabelas, slides etc.; sendo requisitado apenas seu vídeo gravado sem edições. Para cada problema você gravará um vídeo de 2 minutos (120 segundos). Vídeos superiores a 2 minutos terão seu conteúdo analisado apenas até os primeiros 120 segundos. Caso o vídeo ultrapasse 150 segundos, será descartado e não será analisado, implicando em não pontuação para o candidato.

3

3.Entrevistas

O candidato qualificado nas etapas anteriores será avisado por e-mail ou ligação telefônica onde será agendada a entrevista. Em Alguns casos, a entrevista poderá ser conduzida por videoconferência. O passo seguinte é estar presente no dia, local e hora agendados para a entrevista com o especialista.
Caso a entrevista seja online, o candidato poderá utilizar computador, tablete ou celular para acessar a plataforma de videoconferência, conforme orientações que receberão no momento oportuno. Contudo, é fundamental que o candidato esteja em local com a boa conexão de internet e um ambiente tranquilo para a entrevista, evitando assim contratempos indesejáveis.
Os candidatos finalistas, ou seja, qualificados nas etapas anteriores, deverão seguir para a entrevista com o gestor onde ele terá aproximadamente 20 (vinte) minutos onde ele poderá ser questionado sobre seu desempenho.

Quais são os principais critérios de avaliação?

A Avaliação dos candidatos observará:

  • A análise curricular, envolvendo a experiência;
  • A classificação do teste online;
  • A análise do Desafio técnico com base na resolução de situação problema;
  • A análise de competências por meio das entrevistas com especialistas e com o gestor.

As etapas de entrevistas serão realizadas, preferencialmente, de forma presencial na cidade de Fortaleza.

O Perfil desejado

(competências essenciais para o setor público)

O Governo do Ceará está se transformando. A partir de estudos internacionais da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Fórum Econômico Mundial, Governo da Austrália e consulta a especialistas, foram identificados os principais grupos de competências a serem desenvolvidas pelos gestores com fins de suportar e liderar mudanças, bem como entregar mais e melhores resultados à sociedade. Assim, será possível alinhar as equipes de servidores e líderes públicos às necessidades e desafios que estão postos.

Os 6 grupos de competências e seus principais descritores (comportamentos observáveis) são apresentados a seguir:

1.Gestão para Resultados

    • Domínio dos conhecimentos sobre gestão, inerentes à capacidade de tomar decisões e gerenciar de forma competente e estratégica os atos da organização. Capacidade de atuar com base em desempenho, metas, resultados e impactos, construídos de forma aderente ao contexto organizacional e social existente.

2.Core Business

    • Domínio técnico-gerencial da atividade/negócio central da Coordenadoria e dos seus principais processos de planejamento, execução, avaliação e gestão. Capacidade de reconhecer e intervir sobre os fatores (gerenciáveis) institucionais, sociais, políticos e econômicos que podem impactar o negócio central da Coordenadoria.

3. Inovação e Mudança

    • Capacidade de questionar abordagens convencionais na solução de problemas, de adotar novos insights à sua ação, de criar um ambiente propício à experimentação e à melhoria continua, de suscitar e encorajar ideias de vanguarda e novas formas de se trabalhar, adotando medidas incrementais ou disruptivas que conduzam a organização a responder de forma adequada ao contexto e se preparar face a cenários futuros.

4. Comunicação Estratégica

    • Capacidade de desenvolver conceitos e ideias com clareza de comunicar propósitos, planos e estratégias e inspirar confiança, de estabelecer uma comunicação empática persuasiva e influente de construir narrativas que representem e legitimem a atuação da organização.

5. Gestão de Crises

    • Capacidade de antecipar, identificar e administrar a ocorrência de situações de risco, de construir soluções criativas, estratégicas e tempestivas adequadas ao contexto. Capacidade de ação em face de situações de imprevisibilidade e escassez, e de reação sob pressão.

6. Engajamento de Pessoas e Equipes

    • Capacidade de conduzir as pessoas ao encontro da visão, missão e objetivos organizacionais, de atuar como líder agregador, engajador, incentivador e empoderador, que construa um ambiente inclusivo, favorável à cooperação e ao trabalho em equipe. Capacidade de promover uma liderança que associe o alto desempenho da equipe ao bem-estar dos indivíduos em sua rotina de trabalho. Capacidade de valorizar o capital humano da organização, propiciando à equipe oportunidades de formação e compartilhamento do conhecimento no espaço organizacional, e promovendo uma cultura institucional propícia à aprendizagem contínua e ao desenvolvimento de pessoas orientado para os resultados.
  •